quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Literatura como atividade humana essencial - Parte: 02.


HISTÓRIA DA LITERATURA MUNDIAL

LITERATURA COMO ATIVIDADE HUMANA ESSENCIAL – PARTE: 02

A consideração do fenômeno literário encontra dificuldades outras, mesmo quando partes do patrimônio literário são conservadas. Suponhamos que lemos numa antologia um poema não pertencente aos clássicos greco-latinos, mas, composto em outra civilização qualquer da Antiguidade. Imenso terá sido o esforço de comentadores especializados para descrevê-lo, traduzi-lo e situá-lo e todos os elementos históricos e arqueológicos possíveis terão sido empregados. No entanto, obscuridades inúmeras subsistirão de maneira a não se poder determinar com segurança o sentido das palavras originais e o texto que hoje lemos será apenas imagem fraca e deformada da comunicação literária há séculos composta. Não existisse esta barreira e o problema, embora reduzido, persistiria: as realidades referidas  pelo texto seriam apenas imperfeitamente conhecidas e, mui certamente, bem deformadas pela distância cultural que nos separa das instituições e do sistema de vida que naquela civilização se teria desenvolvido.

Restrinjamos o quadro literário sob consideração e barreiras culturais ainda existirão. No conjunto de uma mesma tradição, como a ocidental, o mesmo assunto desenvolvido por diferentes autores em diferentes momentos históricos fornece textos completamente distanciados. Exemplo suficiente é o Andrômaco composto na Grécia por Eurípedes e na França por Racine. Menos óbvia, mas não menos verdadeira, seria a deformação trazida a uma mesma obra pela simples evolução histórico-cultural. A obra de Shakespeare, em seu próprio país, tem conhecido prismas diferentes consoante a época literária em que é considerada: clássica, romântica, realista, surrealista ou modernista.

Se considerarmos um simples poema composto exatamente em nossa época por autor pertencente a uma literatura estrangeira qualquer, novamente, barreiras culturais e linguísticas específicas prejudicarão nossa apreensão do literário. Tentar ultrapassá-las com o recurso da tradução é tentativa frustrada. A afirmativa de Ezra Pound, segundo a qual a literatura é simplesmente linguagem cuja carga significativa é esquecida por propriedades musicais (melopoeia), por imagística visual (fonopoeia) e pelo aproveitamento contextural das múltiplas potencialidades significativas das palavras (logopoeia), é rápido recurso para, num breve momento de reflexão, levar-nos a reconhecer que apenas a fonopeia, por ser um enriquecimento realizado para ser recebido pela imaginação, poderá ser traduzida e, portanto, quase integralmente comunicada.

Consideremos agora que cada leitor tem um universo pessoal informado por bem determinadas condições histórico-individuais provindas da realidade sócio-econômica em que se insere e enriquecida por suas experiências diretas e intransferíveis na família e na profissão, na adoção de crenças religiosas e opiniões políticas – em suma, é uma totalidade existencial organizada. No diálogo que este determinado leitor estabelece com a obra de um autor – que é uma outra totalidade organizada e que transmitiu a um texto uma concepção do mundo, ou seja, um conjunto de valores religiosos, morais, sociais, econômicos, políticos, eróticos e outros – são relativos os graus de apreensão exata.

As barreiras apresentadas, que, evidentemente não esgotam a multiplicidade delas existentes, são suficientes, no entanto, para que reconheçamos a importância da atividade literária como criação e como fruição. Somente por ser uma atividade humana essencialmente significativa é que a literatura pode resistir a tamanhas barreiras. Isto não significa a eliminação da parcela de jogo sempre presente na atividade literária pois é esta evidente na poesia, mas também importante na prosa ainda que a mais austera, seja sob forma de jogo verbal, seja sob a forma de constante transferência do real vivido ao real imaginado e reconstituído. Vã tentativa seria a literatura como exclusivamente jogo e uma impossibilidade a literatura despida de todo elemento lúdico.

A literatura como atividade essencial corresponde ao mais profundo do humano: a necessidade de expressão e de diálogo. A literatura satisfaz ao inconformismo quanto à solidão e ao deserto pessoal ao conseguir transmitir os valores locais dos seres em si aproxima-se da transmissão do incomunicável de nossas vidas. Dirigímo-nos às obras literárias para comunicarmos nossas esperanças e temores, nossos desejos e desesperanças, nosso conhecimento e nossa ignorância, para tomar contato com outras visões do mundo e para penetrar no recôndito dos seres.

A literatura é, assim, uma forma de expressão e de comunicação, bem como uma forma de conhecimento do mundo e dos seres em sua tipicidade e particularidades e, ainda, forma de transformação do mundo quando encontra o real histórico-social e leva ao combate para a plena formação do ser humano em integral realização de sua essencial liberdade e responsabilidade social.

Fonte: “Os Forjadores do Mundo Moderno”, Editora Fulgor, edição 1968, volume 7, páginas 11/13.


Visite também o Arte & Emoções

20 comentários:

✿ chica disse...

Estou gostando muito dessas postagens, inteligentes e bem elaboradas por aqui! abraços,chica

Poemas e Cotidiano disse...

Furtado, meu amigo!
Muito interessante esse seu blog, e nos faz mergulhar na historia o que eh algo muito bom principalmente para um poeta.
Vou pensar em alguma sugestao e lhe falo.
Mas acho que esta otimo!
Beijos
Mary

。♥ Smareis ♥。 disse...

Oi Amigo aqui estou. Aprendendo um pouco mais com seus post.

A literatura como atividade essencial corresponde ao mais profundo do humano.

Um beijo grande, e continuação de ótima semana. Smareis

Lou Witt disse...

Parabéns pelo novo blog, amigo!
Meu carinho, sempre.

Anne Lieri disse...

Furtado,vim conhecer seu novo blog e me admirei com esse texto que é uma profunda reflexão sobre a literatura!Parabéns,amigo!Essencial é ler Furtado!Bjs,

Carla Fernanda disse...

Rosemildo a literatura é tudo de bom e aqui estou para ficar.
Beijos,
Carla

Mara disse...

Boa noite, Rosemildo!
Muito interessante seu post.
Estou gostando e aprendendo muito.
Bom final de semana.
Beijo,
Mara

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Aqui estou seguindo e gostando do que li, voltarei sempre.

Beijinhos
Rosa

Pena disse...

Precioso e Valioso Amigo:
O aspecto gráfico está soberbo e notável. Bem-Haja, por isso.
O conceito de literatura e o seu objectivo(s) são bem escritos e admiráveis. Era o espaço que faltava.
Vocês escrevem com imenso talento e genialidade abrinho horizontes vastos de pertinência e preciosidade literária.
MUITO OBRIGADO pela sua amável e simpática visita.
Não esquecerei nunca a vossa amizade.
Abraço amigo pela profundidade do vosso sentir divinal e majestoso.
Com admiração constante e sempre.
Adorei.

pena

MUITO OBRIGADO pela visita sensacional.
Bem-Hajam, enormes amigos.
O vosso blogue fascina de encanto.
Parabéns sinceros.

Maria disse...

Amigo Furtado está excelente o post. A literatura nos ajuda a ir mais longe, ela nos fala do passado e abre novos caminhos para o futuro, nos ensina, ajuda e acompanha, ela é a nossa companhia nos momentos de solidão.
Bom fim de semana.
Beijinhos
Maria

Anne Lieri disse...

Furtado,passando para visitar mais uma vez seu maravilhoso blog e desejar um ótimo fds!Bjs,

Regilene disse...

Rosemildo obrigada pelo convite, vim dar meu apoio a história da literatura mundial, onde tenho certeza irei aprender muito em cada postagem visto que sou amadora e aprendiz nessa arte.

Parabéns por esta iniciativa cultural que irá nos acrescentar conhecimento e engrandecer nossa literatura.

Deixo meu desejo de um excelente fim de semana rico de inpirações!

Andreza disse...

Sucesso neste novo espaço!
bjks doce ♥

Livinha disse...

Olá meu amigo,

Sempre muito bom poder te acompanhar, seja de que forma for, pois que qualquer assunto engloba o senso literário o necessário indispensável contribuinte para o nosso haver cultural.
O melhor presente que podemos receber, o melhor que podemos ofertar, pois que esse é o caminho, as asas para nossos voos rarefeitos no tocante ao todo...

Gostei do teu novo espaço, parabéns e obrigado por lembrar de mim...

Mto bem e vamos que vamos que a maria fumaçã não pode parar...

Bjs

Livinha

Lu Nogfer disse...

Ola amigo!

É muito bom termos espaços onde pode-se notar a importancia dada a literatura!Embora vemos muitos alheios, o povo brasileiro precisa disso. Assim sendo, o nosso pais esta a caminho de estar entre os melhores nesta categoria!Por isso deixo os meus agradecimentos pelo desempenho de nos melhorar cada vez mais!Uma busca constante que merece aplausos! Parabens!

Beijos com carinho!

Lou Witt disse...

Passando pra deixar o meu carinho!!!

beijos

Pupottina disse...

buon inizio settimana ^_______^

Beijos com carinho!

Zélia Guardiano disse...

Olá, amigo Rosemildo!
Cá estou, muito entusiasmada com seu novo espaço!
Blog importantíssimo!
Estarei sempre aqui...
Abraço preenchido de admiração,
Zélia

Amor feito Poesia disse...

Dai-me algumas palavras,
- porém, somente algumas! –
que às vezes apetece,
pelos jardins da areia,
colher flores de espuma.


Cecília Meireles

Beijos e meu carinho....M@ria

Tais Luso disse...

Todo o espaço que se forma na blogosfera, trazendo cultura, conhecimentos enriquecerá a todos e nos tornaremos pessoas mais ricas e interessantes.

Seu espaço está ótimo.
Beijos
Tais Luso

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...