quarta-feira, 24 de maio de 2017

Grandes vultos: Castro Alves - Parte 04.




GRANDES VULTOS BRASILEIROS QUE MARCARAM A HISTÓRIA NAS SUAS MAIS DIVERSAS ATIVIDADES
CASTRO ALVES – PARTE 04.
E Joaquim Nabuco tinha razão. Como acentua Pedro Calmon, o verbo “libertar” é o que maior consumo teria na lira de Castro Alves; o poeta revela-se contrário a qualquer tipo de opressão. Para ele, o Brasil era digno de grandioso futuro, e o caminho para isso seria a conquista de todas as liberdades e a incorporação do progresso sobre todas as suas formas. As fontes de progresso, do progresso que só viria pela instrução, ele as magnificava a ponto de as transformar, como a imprensa, em soberba “deusa incruenta”:
Quando Ela se alteou das brumas da Alemanha,
Alva, grande, ideal, levada em luz estranha,
Na destra suspendendo a estrela da manhã;
O espasmo de um fuzil correu nos horizontes…
Clareou o perfil dos alvacentos montes
Dos cimos – do Peru… às grimpas do Indostã!
Tinha na mão brilhante a trompa bronzeada!
Daí, igualmente, a sua exaltação do livro, do jesuíta em sua heroica propagação da fé – pois propagando a fé civilizou e instruiu. Sim, só com a instrução, como o livro, poderia vir o progresso para a América:
………………....na impaciência
Desta sede de saber,
Como as aves do deserto –
As almas buscam beber…
Oh! Bendito o que semeia
Livros… livros à mão cheia…
E manda o povo pensar!
O livro caindo n’alma
É gérmen – que faz a palma,
É chuva que faz o mar.
Vós que o templo das ideias
Largo – abris às multidões,
Pra o batismo luminoso
Das grandes revoluções,
Agora que o trem-de-ferro
Acorda o tigre no cerro
E espanta os caboclos nus,
fazei desse “rei dos ventos”
– Ginete dos pensamentos,
– Arauto da grande luz!…
Continua
PÉRICLES EUGÊNIO DA SILVA RAMOS
Visite também:
Clicando aqui:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...